Coronavírus e Fertilidade

Em tempos de pandemia, sempre surgem dúvidas sobre o novo coronavírus e os tratamentos de infertilidade masculina feminina. Dra. Sofia responde 9 destas dúvidas enviadas por pacientes. Confira!

Artigos Científicos

Confira alguns artigos escritos por Dra Sofia que foram publicados por revistas especializadas no Brasil e em outros países.

Dra. Sofia Andrade

Dra Sofia Andrade

Especialista em Reprodução Humana
Especialista em Reprodução Humana pela URJC em Madrid e Professora de Ginecologia e Reprodução Humana da UNEB, trabalha exclusivamente com Infertilidade, Ensino e Pesquisa.

Qual o melhor tratamento para engravidar?

Sempre que converso com os casais, esta é quase sempre a primeira pergunta. A investigação da causa da infertilidade deve ser feita através de um profissional especializado. Investigar as causas da infertilidade masculina e feminina e conhecer as opções de tratamento e em especial a restauração da fertilidade, é o meu objetivo de vida. Realizo diferentes tipos de tratamento, seja clínico, cirúrgico ou a mais alta tecnologia da reprodução assistida. Os melhores tratamentos para infertilidade masculina e feminina você encontra aqui.

Artigos

Confira algumas notícias sobre Reprodução Humana. Novas técnicas, tendências, pesquisas e curiosidades.

Notícias

Confira algumas notícias sobre Reprodução Humana. Novas técnicas, tendências, pesquisas e curiosidades.

Perguntas Frequentes

Quais as chances de gestações múltiplas numa gravidez com técnica de reprodução assistida?

Hoje, todas as clínicas lutam para que cada tratamento resulte em apenas um filho. Entretanto, para otimizar o custo do tratamento e a eficácia do mesmo costuma-se estimular os ovários. Disso resulta maior número de óvulos, de modo considerável, o número de embriões transferidos para minimizar o risco de gestações gemelares.

O Conselho Federal de Medicina determina que mulheres até 35 anos recebam até um máximo de dois embriões. O número máximo indicado para mulheres de 36 a 39 anos é de três embriões a serem depositados no útero (procedimento denominado transferência embrionária). Por fim, para paciente com 40 anos ou mais pode ser transferido um máximo de quatro embriões.

Menor de idade pode congelar sêmen?

Sim, o paciente menor de idade pode congelar sêmen desde que tenha a autorização dos representantes legais. Esta técnica de prevenção e conservação de espermatozoides é muito indicada e deve ser utilizada em todos os homens adultos ou menores de idade que produzem espermatozoides e serão submetidos a qualquer tipo de tratamento que por alguma eventualidade poderá danificar a espermatogênese, tais como quimioterapia, radioterapia e outros.  Pacientes oncológicos são orientados a ir a uma clínica de Reprodução Humana, onde farão a coleta e deixarão armazenado por tempo indeterminado. No futuro caso desejem engravidar e venham a ter dificuldade poderão utilizar aquela amostra de semen para realização de inseminação intrauterina ou fertilização invitro.

Desse mesmo modo, pacientes que estão em tratamento de reprodução assistida, porém estão frequentemente viajando ou moram em local distante da clínica, podem optar pela coleta seminal em dia oportuno seguida de congelamento para utilização no dia da fertilização in vitro do casal.

Em caso de meninos pre-púberes que tiveram diagnóstico oncológico e necessitarão de quimioterapia ou radioterapia, uma opção válida é o congelamento de tecido testicular, adquirido através de biópsia testicular, um procedimento pouco invasivo e de baixa complexidade que pode ser realizado antes do início do tratamento oncológico.

Como é feita a coleta de sêmen para congelamento?

Nos pacientes que ejaculam espermatozoides, através da masturbação, realizada no próprio Serviço; para pacientes que não apresentam espermatozoides no ejaculado, pode ser feita uma punção de epidídimo ou mesmo uma biópsia de testículo, e caso sejam encontrados espermatozoides, estes podem ser congelados.

Por quanto tempo o sêmen pode ficar congelado?

O sêmen congelado e armazenado manterá sua qualidade e capacidade de fertilização por várias décadas.

Qual é o custo de um tratamento de reprodução assistida?

Depende do tipo de tratamento indicado.

Posso escolher o sexo do meu filho?

No Brasil, segundo o Conselho Federal de Medicina e as normas que regem as técnicas de fertilização assistida, só é permitido quando existem doenças familiares ligadas ao sexo.

Quais as chances de sucesso do procedimento?

As chances dependem de uma série de fatores como a idade da mulher, o tipo de problema que está causando a infertilidade e o tipo de técnica aplicada. Entretanto, sabe-se que inseminação intra-uterina oferece resultados de 10 a 15% de gravidez por cada tentativa. A fertilização in vitro é mais eficaz e as chances de sucesso, de um modo geral, giram em torno de 30 a 40%, já na primeira tentativa.

Qual a melhor opção de tratamento?

Nessa consulta o casal irá relatar seu problema e a esposa será examinada. Todos os exames que tenham feitos serão revistos e serão dadas orientações sobre o melhor tratamento que se ajusta ao seu caso.

Havendo indicação de reprodução assistida, a equipe de orientação fornecerá passo-a-passo os detalhes do tratamento indicado.

Serão informados os custos do tratamento ao qual se submeterá e o plano de pagamento.

O que é a Fertilização in Vitro (FIV)?

A FIV é popularmente chamada de “bebê de proveta” e isso se deve ao fato de que o embrião é gerado no laboratório.

A mulher toma medicações para os ovários amadurecerem vários folículos. O crescimento dos folículos é, via de regra, acompanhado por ultrassonografia e no momento oportuno o médico marca a coleta dos óvulos.

A FIV pode ser classificada como FIV convencional quando o laboratório coloca em uma placa espermatozoide e óvulos e aguarda que os óvulos sejam espontaneamente fertilizados pelos espermatozoides.

A ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozoides) é uma técnica onde a equipe do laboratório promove, mediante um equipamento chamado micromanipulador, a introdução do espermatozoide no óvulo. Hoje é preferida em relação à FIV convencional porque aumenta a segurança de que haverá fertilização dos óvulos.
A SUPERICSI é um avanço da técnica de FIV, onde os espermatozoides que serão introduzidos nos óvulos são selecionados, após uma visualização no microscópio que aumenta o tamanho do gameta em mais de 6.000 vezes. Isso permite, nos casos de alteração do espermograma, identificar os melhores espermatozoides para introduzir nos óvulos.

O que é Inseminação Artificial?

Na prática, inseminação artificial significa o mesmo que inseminação intrauterina.

O procedimento é parecido com o coito programado. Usam-se medicações estimuladoras da ovulação, existe o acompanhamento do crescimento dos folículos pelo ultrassom e no momento oportuno, em vez de orientar o coito, o médico encaminha o esposo para colher o sêmen e entregá-lo ao laboratório que selecionará os espermatozoides mais férteis, os quais são depositados no interior do útero. A fertilização se dá no interior do corpo da mulher, por isso a inseminação artificial ou inseminação intrauterina é considerada uma técnica de baixa complexidade.

Os resultados de gravidez são maiores com a inseminação artificial do que com o coito programado.

Menu
WP Tumblr Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Abrir chat
Preciso de ajuda?
Olá,
Posso te ajudar?